Venda e Fidelização de Clientes

Já há muito se sabe que o setor comercial é o coração de qualquer empresa. Se não houver venda, não há movimentação financeira e a empresa quebra. É a menina dos olhos das organizações. Desenvolver estratégias de vendas deve ser uma preocupação constante na vida de uma empresa. Avaliar negócios, prever tendências e estar preparado para elas. Há um pensador que diz “se quisermos atingir resultados nunca antes atingidos, devemos utilizar métodos nunca antes utilizados”. Portanto, criatividade é fundamental para estar à frente do tempo e dos acontecimentos.

Se vender já não é uma coisa simples e fácil, fidelizar clientes é algo bem mais difícil ainda. E esta tem sido uma das principais estratégias adotada pelas empresas para manter uma carteira de clientes, já que reter um cliente custa muito menos do que conquistar um cliente novo. 
Fidelizar um cliente é um processo de conquista de confiança e lealdade. Clientes fiéis compram mais e melhor e reclamam quando algo não vai bem, porque confiam na empresa e na marca. Os infiéis vão embora sem nada dizer e reclamam em outro lugar, minando a marca, o produto e a empresa.

É preciso antes de tudo ter uma equipe de vendas preparada e competitiva para o mercado, seja lá qual for o produto ou o serviço que presta. O bom vendedor deve ser uma pessoa confiante, entusiasmada com os desafios e com as novas conquistas. Sem ganância e sem ambições desregradas, mas buscando superar as metas sempre. Qualidade já não é diferencial, é obrigação, por isto é preciso inovar. 

Não se pode esquecer também do trabalho do pós-venda e aí reside o segredo da fidelização dos clientes. De nada adianta o cliente ser muito bem tratado por um vendedor se após afetuado o negócio ele cai na rede da burocracia da empresa, passando a ser um número somente.  Isto causa descontentamento e muitas vezes a troca de fornecedor. É um cuidado a ser tomado e uma preocupação que não deve ser esquecida, treinando e capacitando a equipe de vendas da empresa.

Respeitar o consumidor deve ser um princípio das organizações e é vital para a sobrevivência de qualquer negócio e da dignidade das relações comerciais. Deve estar enraizado em qualquer organização que deseja manter-se no mercado.

Mª Gislaine De Bastiani